Llamamiento

para contribuciones

Dosiers en curso

2008 / 2009

- Hacia unos eslabones sostenibles: de la producción al consumo

español   français   english   português

dph participa en la coredem
es.coredem.info

buscar
...
diálogos, propuestas, historias para una Ciudadanía Mundial

União Geral das Cooperativas (UGC), Moçambique

Yvon POIRIER

06 / 2005

O historial da UGC é muito estimulante. Depois de uns modestos começos em 1980, a UGC é responsável por uma das mais importantes cooperativas de Moçambique e a sua experiência ultrapassa já as fronteiras.

É preciso recordar que o país, que se tornou independente em 1974, era extremamente pobre. Numa perspectiva de sobrevivência, sete cooperativas envolvendo 250 produções agrícolas, formaram em 1980 a UGC.

Conforme vem referido nos documentos da UGC, o « movimento era sobretudo composto por mulheres desempregadas, com pouca escolaridade e nenhuma capacidade técnica. No início, o objectivo era o de realizar compras de alimentação aos preços de grossista e de procurar receitas suplementares através da venda de produtos agrícolas. Após uma formação organizada pela UGC, os seus membros melhoraram capacidades técnicas, organizacionais, de gestão e conseguiram modificar a situação inicial. Hoje em dia, muitas das mulheres transformaram-se nos líderes das respectivas famílias. No final dos anos 80, passou-se de uma produção agrícola à produção de aves ».

Em 2005 a organização é composta já por 200 cooperativas, com 6000 membros, 95% dos quais são mulheres. A UGC é actualmente o maior produtor de frango de Moçambique. Um sistema completo de produção foi posto em marcha, das chocadeiras ao matadouro. Dando continuidade às acções de formação, a UGC lançou ainda Centros de Saúde (com acesso de não associados) , serviço de micro crédito e uma Caixa de Poupança e de Crédito (em 2004).

No começo, a iniciativa era marginal e, sobretudo, ignorada. Hoje, a UGC é reconhecida em Moçambique e no exterior. A Presidente, Sra. Cossa, refere que o Presidente da República de Moçambique assiste por vezes às suas assembleias. E, com algum humor, a Sra. Cossa revela que os homens pedem agora para aderir à cooperativa!

A Sra. Cossa é uma excelente embaixadora da sua organização e mantém uma grande actividade em Moçambique e em fóruns internacionais de África e no exterior. Desde 2001, é também deputada na Assembleia Municipal de Maputo, a capital do país.

Palabras claves

cooperativa, producción agrícola, organización de mujeres


, Mozambique

Notas

Tradução em português: Francisco Botelho

Este artigo está também disponível em inglês, espanhol e francês.

Este artigo está disponível no blog: Boletim Internacional de Desenvolvimento Local Sustentável.

Fuente

Este texto foi produzido a partir das comunicações que a Sra. Celina Cossa, presidente da UGC, fez por ocasião do Congresso da Rede canadiana de Desenvolvimento Económico Comunitário, efectuado entre 4 e 7 de Maio, bem como a partir de documentos produzidos pela própria UGC.

contacto mapa del sitio menciones legales