español   français   english   português

dph participe la coredem
fr.coredem.info

rechercher
...
dialogues, propositions, histoires pour une citoyenneté mondiale

Tratamento global e de parceria da má moradia : oficina moradia

François LEGRIS

05 / 2005

O contexto, um bairro em crise

O bairro Fives sofreu a crise econômica destes últimos trinta anos e foi fortemente atingido pela ascensão da exclusão. Hoje 15% da população do bairro recebe a Renda Mínima de Inserção (aproximadamente 20.000 moradores do bairro). A Oficina Moradia foi criada em 1984 para o realojamento das famílias atingidas pela realização de uma via expressa no meio da cidade. Ela se estendeu em seguida ao bairro todo, sua gestão sendo garantida pela Antena Leste do PACT de Lille.

A penúria de moradias sociais (aproximadamente 20% no bairro, mas sem oferta disponível), o problema das moradias insalubres e a existência de proprietários pouco escrupulosos que se enriquecem à custa da miséria social e econômica das famílias, amplia o papel da Oficina no seio do bairro. A moradia torna-se prioridade das prioridades para as pessoas mal alojadas ou sem moradia.

A influência de Lille Metrópole atrai no bairro investidores privados que produzem operações em benefício a outras categorias sociais. Se este desenvolvimento é louvável para a reequilibragem socioeconômica do bairro, ele poder ser devastador para as famílias mais pobres. O habitat privado que tinha um papel de moradia social desaparece pouco a pouco. É preciso então intervir para que o desenvolvimento urbano deixe lugar e considere a população mais carente.

Papel e funcionamento da Oficina Moradia

A Oficina é um lugar central no acompanhamento de demanda de moradia. Ela é importante para as famílias, mas também para as diversas instituições e associações ajudando, apoiando e defendendo as pessoas dificultadas. Ela tem, além de sua ação de apoio, um papel de observatório e de análise da demanda muito social.

A Oficina conduz as seguintes ações :

  • Receber e centralizar a demanda de moradia.

  • Ser um lugar de escuta de mobilização das famílias afim de torná-las atrizes do processo.

  • Orientar e acompanhar as famílias para uma moradia correspondente às suas necessidades e capacidades financeiras.

  • Trabalhar para manter as famílias na moradia quando a situação o permitir.

  • Otimizar o acesso ao parque social, agrupar as intervenções relativas aos pedidos de moradia, garantir o acompanhamento junto aos proprietários, sugerir respostas a fim de produzir uma nova oferta.

  • Animar uma instância de parceria, lugar de orientação dos pedidos e de trocas sobre as situações sociais.

  • Favorecer o acompanhamento das famílias junto aos proprietários sociais e privados buscando os meios de ações e financiamentos adaptados e para permitir seu acesso.

Todas as famílias em dificuldade de moradia morando no bairro Fives Saint Maurice são acolhidas durante uma permanência semanal em um local de proximidade. As pessoas estão sendo encaminhadas seja pelos parceiros, seja pela boca-boca. As famílias são também recebidas com hora marcada para a constituição de dossiês ou para um acompanhamento personalizado pelas pessoas trabalhando durante a permanência. Além disso, visitas em domicílio estão sendo efetuadas para as pessoas impossibilitadas de se deslocar ou dentro da ação « Luta contra a Insalubridade e os vendedores de sono » para construir um laço mais específico.

A oficina quer ser um lugar de mobilização das famílias onde elas possam fazer um balanço de seu percurso e definir as etapas a serem atingidas para obter uma moradia. É para algumas famílias o único interlocutor possível.

A instância de parceria moradia

Esta instância, coordenada pelo Pact, reúne-se uma vez por mês, e agrupa os parceiros dos serviços públicos ou parapúblicos, as estruturas de moradia, hospedagem e reinserção social, as associações de defesa de inquilinos e as associações de apoio a públicos específicos trabalhando na ajuda pela moradia. Trata-se de conservar um laço constante entre todos os parceiros mobilizados nos bairros Fives e Saint Maurice para ter uma coesão e um acompanhamento global da demanda e das necessidades das famílias cruzando os elementos de conhecimento.

Ela tem como objetivo :

  • Localizar as características dos requerentes (potencialidades e dificuldades) através de trocas e esclarecimentos pela entrega de elementos de conhecimento das situações.

  • Permitir uma reflexão sobre os dispositivos de inserção pela moradia e suas práticas (especificidade e evoluções).

  • Ampliar as perspectivas lógicas de intervenções com os requerentes.

  • Ficar atento para que cada pedido de moradia encontre uma solução (reativar os pedidos em instância, vigiar o acompanhamento).

Seu papel é examinar as situações e orientar mais precisamente as famílias para um acompanhamento social adaptado e para a solução de moradia que atenda a suas características. É um lugar de trocas e de informações sobre as famílias, mas também um lugar de concertação e de discussão sobre as várias dificuldades encontradas como trabalhadores sociais. A instância de parceria tem de estar também atenta aos diferentes parceiros e então favorecer uma dinâmica de parceria debatida.

Os parceiros concernidos são :

A Cidade de Lille : ação social e inserção - departamento de higiene, Centro Comunal de Ação Social

O Conselho Geral : Trabalhadores sociais de circunscrição, a Comissão Local do Plano

Lille Metrópole Comunidade Urbana, a Caixa de Alocações Familiares, o Plano Lillense de inserção, a Missão Local _ As casas lar : “Capharnaüm” - “Habiter ensemble” - “Hôme des Mères” - “foyer Catry” - “le Fare” - “foyer ARELI” - “ABEJ” ·_ As associações trabalhando em matéria de moradia : PACT - OSLO - GRAAL

As associações caritativas : “Aide à Toutes Détresses” - “Secours Populaire Français” - “AREAS gens du Voyage” - “les Petits Frères des Pauvres” - “Itinéraires jeunes” - “Solidarités aux femmes et aux familles d’ici et d’ailleurs”…

Paralelamente, reuniões específicas com os proprietários sociais permitem trabalhar para a otimização dos pedidos de moradia.

Números 2004

Existem mais de 30.000 pedidos de moradia social em espera no aglomerado de Lille.

307 novos pedidos foram registrados em 2004, o que leva o número de pedidos a aproximadamente 750.

753 pessoas foram recebidas em permanência sendo 68 com hora marcada.

51,45 % estão sem moradia sendo 37,8 % hospedadas, os outros 5,87 % são moradores de rua, de trailer, de casa lar, de hotel.

70,4 % vivem de transferências sociais (37,1 % RMI, 12,3 % API).

Composição familiar : 38,8 % pessoas sozinhas com filhos ; 35,8 % pessoas sozinhas sem filho.

Realojamentos : PACT 8 HLM 17 sendo 13 : LMH Particular 13 Outros 3 (casa lar, casa “relais”…).

Mots-clés

accompagnement social, accès au logement, logement social, population défavorisée


, France, Lille

dossier

Le mouvement social et la lutte pour le logement populaire en France et au Brésil

Commentaire

Esta ficha de experiência foi realizada a partir da experiência da Oficina Moradia dos bairros Fives - Saint Maurice em Lille.

Notes

Contacto : Khadidja MESSAOUDI PACT de Lille - Antenne Est - 20/501 rue de Flers 59800 Lille, FRANCE - Tél : 03.20.33.39.34

Tradução da ficha Un traitement global et partenarial du mal logement : l’atelier logement.

AITEC (Association internationale de techniciens, experts et chercheurs) - 21 ter rue Voltaire, 75011 Paris, FRANCE - Tél : 01 43 71 22 22 - France - aitec.reseau-ipam.org - aitec (@) reseau-ipam.org

contact plan du site mentions légales