español   français   english   português

dph participe la coredem
fr.coredem.info

rechercher
...
dialogues, propositions, histoires pour une citoyenneté mondiale

Para que a gente aprenda a ser lutador de rua : o Programa Nueva Vida

("Pour que les gens apprennent à être des combattants de rues": le programme "Nouvelle vie")

Cristiana TRAMONTE

08 / 1993

O Programa Nueva Vida trabalha com resgate da cidadania de jovens e criancas de rua e possui uma casa que serve de local de reuniao para 40 pessoas.Em Bogota ha cerca de 10.000 pessoas na rua.Dentre estes 5000 a 6000 adultos e o restante,jovens e criancas. Estivemos conversando com cerca de 15 jovens de rua,visitando a experiencia, junto com ENDA-AL. Indagamos se podiamos tirar fotos e realizar gravacoes em video:"Se e para dentro do pais, e melhor nao. Mas se e para fora,pode",responderam. Esta posicao e, evidentemente, pela violencia institucionalizada e a perseguicao aos jovens que participam do trabalho.O Programa Nueva vida estimula trabalhos em teatro e video.Faz parte do SOS internacional-Aldeias de criancas, e e o unico grupo que trabalha com criancas de rua. Em outros paises o apoio e dado somente a criancas orfas.Assistimos a um teatro, documentado em video, onde o grupo retrata seu cotidiano de transacao com drogas(marijuana e bazuco), envolvimento com traficantes,os "esquadroes de limpeza"(paramilitares e comerciantes, que nos causam horror tambem no Brasil), estupros,etc.- a realidade crua que tao bem conhecemos.Neste trabalho ate mesmo as metodologias autoritarias das escolas de reabilitacao sao apontadas. Deste trabalho participou tambem um antigo lider de rua (Comanche, 56 anos, a maior parte deles vividos na rua, no bairro de El Cartucho, um gueto fechado onde nem mesmo a policia entra). Os jovens elaboraram o roteiro tecnico, dirigiram e editaram o material. Quando perguntamos a uma menina de 15 anos, com a filha no colo, qual o objetivo do video ela respondeu , sem vacilar:"Para mostrar a outras pessoas o que passamos na rua". Outro jovem completou: "e para que sirva de exemplo para os outros,como um aviso.Para que a gente aprenda a ser um lutador de rua."

Segundo a pesquisadora e educadora Maria Antonia Zarate que trabalha ha varios anos com o grupo, "o objetivo do trabalho e tambem praticar a elaboracao coletiva e o exercicio do consenso".As pecas de teatro sao criacao coletiva."Queremos comunicar a historia, vivencia, angustia e sonhos, dignificar a pessoa e elevar a auto-estima",declara o diretor do "Hacer Las Cosas".A longo prazo, o grupo quer criar um centro cultural em que "as criancas extravazem sua criatividade e a convertam em arte".

Um detalhe bizarro foi que a estreia desta montagem ocorreu no teatro Jorge Eliezer Gaitan, um dos mais importantes da cidade. A plateia ficou lotada com 2800 pessoas, entre elas muita gente moradora de rua. Mas, segundo a avaliacao das proprias liderancas, a valorizacao rapida demais dos jovens tem tambem suas consequencias emocionais para as quais se deve atentar com muito cuidado: nem todos "aguentaram"a badalacao da estreia e se excederam na festa do dia seguinte, causando alguns problemas para o grupo como um todo, o que levou as liderancas a alguns questionamentos mais profundos.

Para o diretor da Casa, Javier Omar,nao e o conceito de reabilitacao que eles perseguem, mas o de cidadania, de construcao de alternativas concretas para sobreviver na rua; que a partir da rua reivindiquem melhorias de condicoes de vida, atraves de programas de Direitos Humanos,criacao de micro-empresas,etc. "A casa e para capacitacao.A populacao daqui rodizia; o objetivo e formar jovens promotores de saude,comunicacao, Direitos Humanos e economia solidaria",completa

.Um aspecto curioso e intrigante e que dentro da casa ha um grupo de soldados que se ofereceram para ai prestar servicos de alfabetizacao como parte de suas obrigacoes militares. Convivendo com os jovens e com os organizadores da casa, uma natural aproximacao ocorreu e lacos afetivos foram criados o que faz com que hoje eles vivam um drama existencial: em certas situacoes-limite, nao sabem se defendem os jovens ou a policia.

Mots-clés

vidéo, enfant


, Colombie, Bogotá

Commentaire

1. O interessante da contradicao humana e que , as vezes,se torna impossivel impedir que a solidariedade prevaleca.E o caso da convivencia destes soldados com as criancas e educadores do programa.2. Esta e a unica casa do programa SOS mundial que acolhe criancas de rua, o que demonstra que esta equipe compreendeu bem o pais e o continente no qual se insere e esta, dentro de suas limitacoes, buscando dar sua contribuicao.3.O sentido da autonomia e da busca da cidadania e um dos tracos marcantes deste programa.Sem assistencialismo, mas propiciando protecao buscam desenvolver a crianca como ser humano.Alem de casa e comida, diversao, arte e comunicacao numa visao respeitosa e valorizadora da condicao humana da crianca das ruas de Bogota.

Notes

Esta visita fez parte do Encontro bilateral sul do Brasil-Colombia, apoiado pela Fundacao para o Progresso do Homem, do qual participaram comunicadores das entidades DIALOGO(Florianopolis-Brasil)ENDA e CINEP (Bogota-Colombia)

Source

Présentation d’organisme

TRAMONTE, Cristiana, DIALOGO-CULTURA E COMUNICACAO

Dialogo Cultura e Comunicacao - Rua Dep. Antonio Edu Vieira, nr.65, apt. 204/D, Bairro Pantanal, Florianópolis-SC, BRASIL - Brésil - mvsouza (@) univali.br

contact plan du site mentions légales