español   français   english   português

dph participe la coredem
fr.coredem.info

rechercher
...
dialogues, propositions, histoires pour une citoyenneté mondiale

O senhor devia ser professor : história e cotidiano da Colombia

("Vous devriez être professeur" : histoire et quotidien de la Colombie)

Cristiana TRAMONTE

08 / 1993

Na estrada para Ocaña,norte da Colombia, provincia de Santander, ve-se muitos soldados do Exercito por todo o caminho. Com uniformes camuflados e metralhadoras criam uma imagem que as vezes lembra os "pueblitos"de Nicaragua. Muitas faixas com dizeres"Aqui o exercito defende o povo contra os guerrilheiros".

O chofer que nos conduz pela estrada é um senhor de meia idade, cujos tracos marcados e a pele morena nos lembra um velho indio. Tem um sorriso franco, as maos grandes e uma suavidade ao dirigir que nao se pode nem imaginar nos taxistas brasileiros. Ele vai calado todo o caminho, embora de tempos e tempos sorria para nos,franco e amistoso. Em meio ao calor escaldante, ele para o carro para tomar algo. Descemos e acompanhamos o senhor ate uma casa que tem um detalhe curioso: um veadinho (tipo Bambi)de estimacao.

Voltando ao carro, o senhor percebe que fazemos anotacoes. Puxamos conversa e ele da inicio a uma das mais belas palestras que ja ouvimos e que nos calou fundo a imagem deste pais. Por razoes obvias de seguranca nao perguntamos seu nome. Mas isso nao impediu que, em cerca de 3 horas, nos tornassemos grandes amigos com esta amizade que nasce rapida e profunda quando existe identidade de sentimentos e de razao. Quando indagamos da acao da guerrilha na regiao, este senhor nos informou que agora o ambiente esta calmo, mas ha uns meses atras todos os dias havia acoes da guerrilha. Explicou-nos a estrutura do Exercito de Liberacion Nacional e da Coordenadoria guerrillera composta pela FAR, EPL, ELN. Ele mesmo encontrou os guerrilheiros muitas vezes no caminho. "Eles param os carros e fazem discursos",declara. "Roubam, atacam, como se diz por ai?" perguntamos para esquentar a conversa. "O que se diz por ai e mentira. Nao roubam. Nao violam . So expoem seu ponto de vista.Depois mandam os carros passarem. Apesar da vida que levam,sao muito disciplinados. Aqui os camponeses tem mais medo do exercito do que dos guerrilheiros. O Exercito tortura, viola as mulheres.", declara, incisivo e emocionado.

Sao muitas as informacoes. Buscamos anotar tudo e o senhor espera pacientemente que terminemos os rabiscos para continuar, consciente e desejoso de que sua explanacao esclareca outros."Aqui na regiao age um grupo dissidente da EPL. Opera aqui e na Costa. Ha tambem os que se chamam helenos, do Cura Perez, chefe da ELN".

Ha poucas cidades pelo caminho, caminhamos por imensas distancias inabitadas. Nas poucas e pequenas cidades do caminho, muitas criancas vendendo todo tipo de coisa: limao, agua, uma mistura de Nordeste Brasileiro e America Central. Passam muitas "chivas"(pequenos onibus de madeira)que transportam de tudo: animais, frutas e muitos, muitos camponeses.

"A guerrilha esta aumentando"- ele insiste."Cada vez tem mais gente. Por exemplo, a FAR tem 40 ou 50 homens por grupo. Diante da decomposicao social do pais, isso nao acaba, so cresce. Ha desemprego,ha gente que se sente melhor com os guerrilheiros, nas montanhas, do que aqui. Pelo menos la tem comida. Jovens saem do Exercito com vontade de trabalhar e nao ha trabalho. A guerrilha lhes oferece comida, condicoes, eles se vao".

Passam por nos soldados e mais soldados com uniformes camuflados . Nos pedagios, mais soldados. Escondemos a maquina fotografica, por recomendacao dos proprios colombianos, mas discretamente realizamos algumas fotos.

Atento a toda nossa movimentacao, nosso chofer aguarda pacientemente. Quando sente que ja estamos "prontos" novamente continua o relato."O governo em vez de aumentar os trabalhos, diminui. Proximo ano tera eleicoes para Conselho e Assembleia, em 95 para o Senado e Camara. Ja temos 50 anos de guerrilha. Antigamente se chamava chusma . O povo se matava pelo liberal (rojo)ou coonservador(verde). Os partidos dividiam os territorios e quem nao respeitava era morto. Hoje o povo se conscientizou e o ideal mudou. Com o ditador militar Gustavo* veio o radio, a TV. Ai o campones comecou a tomar consciencia de que todos ellos compartem del mismo plato."

Paramos outra vez para um refrigerante e nao resistimos : "O senhor deveria ser professor de historia. Tem muito a ensinar".Ele sorri, encabulado, condescendente."Pena que a gente nao tem muito tempo pra ler. Isso ai e do pouquinho que a gente le". Sorrimos os tres, cumplices, e voltamos a perguntar mais e mais.Ele nao para de abrir sua arca de tesouros e nos da mais informacoes."O M-19 nasceu da ANAPO- Alianca Nacional Popular. A Frente Nacional fazia revezamento no poder. O povo ficou inconformado e elegeu o ditador. De 74 a 78 foi o ultimo periodo da Frente Nacional. Ai nasceu o M-19. Formaram um grupo e foram para as montanhas. Participaram da tomada da Embaixada da Republica Dominicana e do Palacio da Justica. Foi para legalidade e como o governo nao cumpriu o prometido, voltaram para a clandestinidade. Atualmente o M- 19 esta na legalidade-tem muitas prefeituras, senadores, etc.Mas a democracia tem que pensar que o povo tem ao menos que comer e isto esta indo muito mal."*Gustavo Rojas Pinilla- inspirado na TV que viu na Alemanha de Hitler, trouxe a tecnologia para a Colombia.

Mots-clés

délinquance


, Colombie, Santander

Commentaire

Depois desta belissima aula de etica social e historia da Colombia,nos despedimos desta figura inesquecivel e chegamos a Ocaña, local dos grandes encontros do general libertador Simon Bolivar .

Notes

Ficha traduzida em frances, MFN 3190.

Source

Entretien

TRAMONTE, Cristiana, DIALOGO-CULTURA E COMUNICACAO

Dialogo Cultura e Comunicacao - Rua Dep. Antonio Edu Vieira, nr.65, apt. 204/D, Bairro Pantanal, Florianópolis-SC, BRASIL - Brésil - mvsouza (@) univali.br

contact plan du site mentions légales