Chamada

a contribuições

Dossiês em preparação

2008 / 2009

- Povos indígenas - Atingir a sustentabilidade pelas filiais: da produção ao consumo

español   français   english   português

dph participa da coredem
pt.coredem.info

buscar
...
diálogos, propuestas, historias para uma cidadania mundial

Os trabalhadores sem-terra na luta pela conquista da terra e pelo direito a comunicaçao

Marcio VIEIRA DE SOUZA

03 / 1993

O Movimento dos trabalhadores Rurais Sem-Terra do Brasil (MST), e um dos movimentos de trabalhadores rurais mais organizados da America Latina. Com quase dez anos de existencia, este movimento que tem como pratica a organizacao dos agricultores despossuidos da propriedade da terra, na luta pelo direito de terra para plantar e viver. No Brasil sao mais de 12 milhoes de trabalhadores rurais sem terra. O movimento surgiu no Sul do Brasil, no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Hoje existe em quase todos os estados da federacao.

Santa Catarina e um dos estados com menor extensao territorial e menor populacao do pais (4,5 milhoes de habitantes). O estado e conhecido pela sua caracteristica de minifundio e mesmo assim possui cerca de 250 mil trabalhadores rurais sem terra. O Movimento dos trabalhadores Rurais Sem Terra-MST, nestes anos de luta pela terra adquiriram a duras penas, muita experiencia e organizacao. Formaram uma Associacao Nacional, que da sustentacao juridica ao movimento. Santa Catarina possui atualmente 56 assentamentos de trabalhadores rurais, todos eles conquistados com muita luta, atraves da ocupacao de terras de latifundios improdutivos, formando acampamentos e sofrendo a repressao da policia, que muitas vezes resulta em mortes. Alem da repressao do Estado, os agricultores enfrentam o terrorismo e a violencia dos jaguncos contratados pelos latifundiarios da UDR (Uniao Democratica Ruralista)- uma organizacao para-militar dos latifundiarios.

Um acampamento de trabalhadores rurais, muitas vezes e desalojado da terra nos primeiros dias de ocupacao, mas eles resistem na beira de estradas, sem as minimas condicoes de moradia e sobrevivencia, logo voltando a ocupar a terra. Um acampamento pode durar 3 anos sem a conquista definitiva da terra, sem condicoes de trabalhar com traquilidade e sem poder construir casas definitivas (os sem terras acampados vivem em casas de lona). No sul do Brasil, o clima e temperado (sub-tropical)chegando no inverno a temperaturas de oito graus negativos.

O MST- Movimento dos Sem Terra, possui hoje uma sede nacional em Sao Paulo e Centros de formacao em alguns estados da federacao. Um dos maiores centros de formacao fica situado em Santa Catarina. O movimento possui um jornal independente (O jornal"dos Sem Terra")que e a voz oficial do movimento. E um jornal nacional em off-set, que possui jornalistas contrados e e tecnicamente bem feito. Em Santa Catarina o DIALOGO-Cultura e Comunicacao (Ong de assessoria em comunicacao e cultura)possui uma articulacao com o MST e presta assessoria ao movimento.

O DIALOGO deu um curso para a secretaria de comunicacao (divulgacao e propaganda)estadual do Movimento. O curso para agentes de comunicacao contou com cerca de dez trabalhadores rurais assentados (previamente selecionados pelo movimento, sendo que todos eram alfabetizados e "tinham jeito para a coisa")de quase todas as regionais do estado. Este curso basico, discutiu nocoes gerais sobre a importancia da comunicacao no Brasil e no Mundo e analisou o processo de comunicacao no Movimento dos Sem Terra. A parte tecnica do curso trabalhou nocoes basicas de redacao de uma noticia e nocoes de fotografia. Ao final do curso, a secretaria de comunicacao e o DIALOGO, discutiram uma proposta que tem como objetivo a ampliacao dos agentes de comunicacao para um agente por assentamento, formando uma rede entre eles e a direcao nacional do movimento. Para isso se planejou a continuacao dos cursos com aprofundamento e formacao de novos agentes. A proposta envolve tambem a assessoria do DIALOGO a um projeto de radio corneta em um assentamento (Assentamento 30 de outubro)e a assessoria na producao de um video sobre a historia do movimento em Santa Catarina. Dois meses apos o curso e o planejamento da secretaria de comunicacao de Santa Catarina, quatro agricultores - incluindo Dirceu Vieira que e secretario de comunicacao da direcao estadual - participaram de um curso e seminario de Comunicacao do movimento em Sao Paulo. Dirceu afirma : "Nos colocamos a nossa experiencia com o DIALOGO, os cursos e o planejamento de rede de comunicadores para os companheiros dos outros estados e a plenaria tirou como modelo a proposta de Santa Catarina para ser implementada nos outros estados do Brasil. Para nos foi um estimulo e uma grande vitoria!". O Movimento dos Trabalhadores rurais Sem-Terra do Brasil (MST), como representante de uma categoria desprivilegiada, e apresentado pelos meios de Comunicacao de massa no Brasil, como "bandidos e arruaceiros". A discriminacao e a marginalizacao com que sao tratados, se deve tambem ao tipo de luta que o movimento se propoe. O questionamento a propriedade da terra e a propriedade privada,faz com que as elites dominantes brasileiras nao adimitam um reconhecimento maior do MST como interlocutor da sociedade na questao da Terra. Depois de quase dez anos de luta, o MST, so agora e reconhecido como ator social importante da sociedade brasileira. O movimento foi recebido recentemente em audiencia pelo presidente da Republica para discutir a Reforma Agraria no pais.

Palavras-chave

reforma agrária


, Brasil, Campos Novos, Santa Catarina

Comentários

Uma visita de comunicadores colombianos do CINEP e ENDA-AL ao assentamento 30 DE OUTUBRO, em Campos Novos que fica situado a 400 km de Florianopolis, e participacao em uma reuniao com os representantes do setor de comunicacao do MST, fez parte do Encontro Bilateral Colombia-Sul do Brasil. Esta viagem e reuniao tiveram o objetivo de mostrar um pouco da realidade do Movimento dos Sem-terra no Brasil e compartilhar experiencias.

Fonte

Apresentação de organismo

SOUZA, Marcio Vieira de, MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM-TERRA; DIALOGO-CULTURA E COMUNICACAO (Brazil)

Dialogo Cultura e Comunicacao - Rua Dep. Antonio Edu Vieira, nr.65, apt. 204/D, Bairro Pantanal, Florianópolis-SC, BRASIL - Brasil - mvsouza (@) univali.br

contacto mapa do site menções legais